Capítulo 4 – Caminho da Renúncia pelo Conhecimento

Este capítulo define o que é um Sannyasi (renunciante), e um Karmayogi; descreve as marcas de uma pessoa auto-realizada no Ser, e um verdadeiro Yogi.

 

O ignorante – não o sábio – considera o caminho do autoconhecimento, e o caminho do serviço sem egoísmo, (Karmayoga) como sendo diferentes um do outro. A pessoa, de alguém verdadeiramente controlado, recebe o benefício de ambos (5.04). Qualquer que seja a meta que um renunciante alcance, um karmayogi também alcança. Portanto, quem vê o caminho da renúncia, e o caminho do trabalho altruísta como uma mesma coisa, vê realmente (Veja, também, 6.1; 6.2-3). (5.5). Mas a verdadeira renúncia (a renúncia da possessão e do fazer com vistas aos resultados), Ó Arjuna, é difícil de alcançar sem o Karmayoga. Um sábio equipado com o Karmayoga, rapidamente alcança o Nirvana (Veja, também, 4.31;4.38 e 5.8-9) (5.6). Aquele que faz todo o trabalho como uma oferenda para Deus – abandonando o apego egoísta aos resultados – fica intocado pelas reações kármicas, ou pecados, exatamente como uma flor de lótus jamais é molhada pela água (5.10). Um Karmayogi alcança a Bênção Suprema por abandonar o apego aos frutos do trabalho, enquanto os outros, que estão apegados aos frutos do trabalho, tornam-se amarrados pelo trabalho egoísta (5.12). Uma pessoa iluminada – por observar Deus em tudo – vê a um sábio, um sem casta, mesmo uma vaca, um elefante, ou um cão, com uma visão igual (Veja, também, 6.29). (5.18). Do mesmo modo, uma pessoa que está em união com o Ser Supremo torna-se desapegada dos prazeres sexuais externos, pela descoberta da alegria do ser, por intermédio da contemplação e da bem-aventurança transcendentais (5.21)