Esse foi um dos primeiros mantras que aprendi (valeu, Zeca!) e nunca mais esqueci, e somente depois tive a noção real da importância dele, tanto no Yoga como no Ayurveda.  Ei-lo:

Om Tryambakam yajamahe
sugandhim pushhtivardhanam
Urvarukamiva bandhanan
mrityor mukshiya maamritath
Sua tradução é:
“Adoremos o Senhor Siva (Quem possui três olhos), quem é sagrado e nutre todos os seres. Do mesmo modo como um pepino maduro se solta do ramo que está ligado tão logo amadureça, que sejamos liberados da morte (do corpo mortal), nos sendo concedido a realização da natureza imortal”.
Também conhecido como Makandeva Mantra, no Ayurveda é considerado o mantra terapêutico mais importante, pois ele protege o sádhaka da morte, estimulando a saúde e conferindo proteção. Sua finalidade, dentro das recomendações ayurvédicas, é a busca exclusiva para a libertação das garras das doenças, das limitações emocionais e intelectuais. Sua prática pode variar: pode-se praticar japamala com esse mantra diariamente (ao menos por 40 dias para que os efeitos do mantra possa surgir na sua vida; essa é uma recomendação para todas as práticas com mantras). Este mantra de Shiva também pode ser utilizado em pujas, no qual atende três metas principais:
– Para que o trabalho dos mestres seja próspero e se concretize;
– Dedicado ao despertar individual, à liberação e ao crescimento espiritual individual;
– Dedicado ao despertar individual, à libertação e ao crescimento espiritual de toda humanidade;
Interessante se dizer que este mantra também é utilizado pela astrologia e um relato fabuloso é contado no livro de Yogananda, Autobiografia de um Yogue, disponível neste site, na seção de “material para estudo”.