Bhúta Suddhi

Swami Jñaneshwara Bharati – tradução de Swami Krishnapriyananda Saraswati

Bhuta Shuddhi é um processo pelo qual os cinco elementos (Bhutas) são equilibrados ou purificados (Suddhi). A sua prática é muito proveitosa, e prepara para o despertar da Kundalini. O Bhuta Suddhi é, também, uma forma de Yoga que mantém os sentidos equilibrados e centrados, e o praticante fica calmo e tranqüilo. Os fundamentos deste processo podem ser vistos em textos como o Yoga Sutras de Patañjali, principalmente nos versos 1.12-14.

Os cinco elementos ou Bhutas, como bem sabemos, são: Prithivi ou terra; Apas ou água; Agni ou fogo; Vayu ou ar; Akasha ou espaço. Estes elementos ou Pañcha Vayu Tattva, atuam em operação conjunta por sobre os Chakras num nível sutil, chamado de Tanmatras. Os cinco primeiros Chakras estão sob a influência direta dos cinco elementos, segundo a tradição do Tantra. Por definição, o sexto Chakra é o da mente, e está além ou é anterior ao espaço e aos outros elementos. A consciência ou Cheitanya, em si mesma, é anterior ou é a origem da manifestação da mente, e coordena o sétimo Chakra.

Os cinco elementos se alinham e agem nos cinco Chakras inferiores – assim chamados devido a localização no corpo – junto com os dez Indriyas, e os Bija Mantras – Mantras sementes – de cada um, conforme a seguir:

Chakra

Elemento

Mantra

Karmendriya

Jñanendriya

Múládhára

Terra

Lam

Eliminação

Olfato

Svadhisthána

Água

Vam

Procriação

Paladar

Manipura

Fogo

Ram

Mover

Ver

Anáhata

Ar

Yam

Tossir/pegar

Tocar

Vishuddha

Éter

Ham

Fala

Escutar

Ájña

Mente

Lam

Mente

Mente

Sahasrára

Consciência

Silêncio

Consciência

Consciência

Quando praticado pelas primeiras vezes, o Bhuta Suddhi pode ser confuso, no sentido de manter o Mantra, a localização do Chakra, seus elementos, etc. Para tornar o processo de aprendizado mais fácil, procure fazer o seguinte: 1) mantenha a atenção no espaço, 2) lembre-se das vibrações dos Mantras os quais deverão antes ser memorizados por uma prática diversa. Deixe o resto vir por si, na medida em que memoriza e aprende os locais e os Mantras. Peça ajuda do seu orientador ou Guru. Na medida em que tudo se equilibra, os insights vêm por si, e o praticante fica mais ágil.

Memorizar, ou mesmo imprimir esta tabela é bom para as primeiras práticas, até você conseguir lembrar de todos esses elementos – lembrando que todos eles são purificados com esta prática. Este método lida diretamente com a atenção sobre os Chakras, equilibrando as forças sutis dos cinco elementos, por intermédio do uso do Bija Mantra do Chakra respectivo.

Antes de iniciar a prática de Bhuta-suddhi em si mesma, é recomendado desenvolver algumas posturas do Hatha Yoga, seguindo-se de relaxamento psíquico, com exercícios para um completo relaxamento. Isso irá ajudar a mente a se capacitar para manter o foco nos Chakras.

Pessoalmente, recomento a prática de Pavana Muktásana conforme ensina Swami Satyananda (1984), que será descrita logo a seguir. Comentei sobre isso com meu Guru e ele também aprovou a idéia. A prática de uma complementa a outra.

Para realizar o Bhuta Shuddhi, o Sadhaka deverá adotar uma das posições a seguir: sentado num Asana de conforto; deitado em MahaSavasana (de barriga para cima), num perfeito relaxamento. Os iniciantes irão sentir-se melhor na posição deitada. Antes de começar a mentalização nos Chakras, relaxe o corpo, procurando fazer um rodízio de concentração e relaxamento nos pés, pernas, coxas, quadris, abdômen, peito, pescoço e cabeça. Relaxe cada parte do seu corpo, e então inicie a concentração e o Bhúta Suddhi.

1. Múládhára: leve a sua atenção para a região do períneo, no espaço compreendido entre o ânus e os genitais. Mantenha-se fixo na concentração durante um bom tempo nesta área, estabelecendo o foco na região. Deixe o Mantra Bija Lam surgir repetidamente no campo de sua mente, silenciosamente, mantendo-se concentrado nele. Repita com a sua voz natural numa velocidade normal. É possível repetir o Mantra por 10 ou 15 vezes e então pausar, mas é possível continuar sem parar. Retome a repetição depois de uma pausa. O Mantra talvez se mova rápida ou lentamente. Em todos os casos, mantenha-se concentrado no espaço do Chakra, isso é muito importante. Deixe a mente conscientizar-se do elemento terra, solidamente, ou em sua forma. Seja a consciência disto grande ou pequena estará bem. Deixe que através da sua mente o campo da consciência do Karmendriya da eliminação surja na mente, operando pelo corpo, e o Jñanendriya do aroma venha a consciência. Gradualmente, com o tempo de prática, tudo isso irá se tornar mais claro, e a atuação dos Indriyas através dos centros, junto com os cinco elementos. Talvez você perceba

cores e sons naturalmente, que venham do campo da consciência interior.

2. Svadhisthána: quando se dirige a concentração para cima, em direção ao segundo Chakra, o movimento incrementa a experiência mental, emocional e energética. Deixe a sua atenção encontrar naturalmente a localização do segundo Chakra. A sua própria concentração irá encontrar o lugar certo. É importante ter em mente que os Chakras se comunicam tanto na frente como nas costas, na coluna vertebral, principalmente no Nadi Sushumna, apesar de a experiência ser focalizada na frente do corpo. Deixe a consciência ficar onde ela naturalmente cair, mas faça uma relação mental com a parte das costas. De forma gradual, a consciência irá focar-se no centro da corrente, correndo através de todos os Chakras, passando pelo Nadi Sushumna. Permita o Bija Mantra Vam surgir e repetir-se por si mesmo, com a sua própria fala, indo e vindo. Concentre a sua atenção no espaço, seja num pequeno ponto ou um pouco maior. Permita a consciência surgir com a imagem da água, na sua forma fluida e no seu fluxo, relacionando-a com a energia física, emocional e mental. Explore o surgir dos Karmendriyas da procriação, e o Jñanendriya do sabor. Então, cores e sons deverão vir à consciência.

3. Manipura: mantenha-se atento na transição do segundo Charka para o terceiro. Ele está localizado no centro do umbigo, sendo nutrido igualmente pelo canal Sushumna. Deixe o Bija Mantra Ram sirgir na sua mente e repita-o, na sua fala natural. Mantenha a atenção no espaço, seja de que tamanho for. Fique atento para o elemento fogo, e dos muitos modos pelos quais ele opera, tanto na sua forma sutil como grosseira neste centro. Atente para o Karmendriya do movimento, e como é que o movimento em si mesmo ocorre, nos muitos modos físicos, energéticos e mentais. Atente para o Jñanendriya da visão, a qual será facilmente relacionada ao movimento do fogo. Cores e sons podem surgir na sua mente.

4. Anáhata: mova a sua atenção para o Anáhata Chakra, que se localiza no meio do peito. Localize firmemente a sua atenção nesta região central do peito, entre os dois seios ou mamilos, enquanto vibra o Bija Mantra Yam, repetindo docemente, deixando os sentimentos surgirem. Concentre-se no elemento ar, e observe agora o que acontece com o Mantra. Note o elemento ar relacionado com o Karmendriya de segurar ou pegar, seja psicologicamente, ou energética, mental e emocionalmente.

Relacione com o Jñanendriya de tocar, e como o toque é sutil, além do fenômeno físico. Cores e sons também vêem agora.

5. Vishudha: leve a sua concentração para o espaço da garganta, este é o quinto Chakra. Na região da garganta esá a natureza do espaço em si mesmo. Traga o Bija Mantra Ham, deixando-o repetir-se por si mesmo, então o reverbere muitas vezes no aparente espaço vazio, no mundo interior. Este espaço não é vazio, mas aparenta, desperte o Karmendriya da fala, na sua forma sutil, e permita a experiencia vibrando através do espaço. O Jñanendriya de escutar sucede-se, então vendo tudo naturalmente arranjado com o espaço, fala, e a vibração do Mantra. Observe os sutis e delicados sentimentos, os quais vêem com a experiência. Cores e sons surgem, quando se erguem.

6. Ajña: agora a concentração se dá gentilmente na região compreendia entre as duas sobrancelhas, no Ajña Chakra. Evoque o Bija Mantra OM, e deixe-o repetir-se por si mesmo, repetidamente, nas vagarosas ondas do Mantra. Vigie a sua mente para não conter elementos, mas tendo origem externa, no qual o espaço, ar, fogo, água e terra emergem. Observe como este espaço, a mente, a si próprio, não agem, mas dirigem a

força de todos os Karmendriyas da fala, segurar, mover, procriar, eliminar. Tenha em mente que este Chakra é um recipiente de todas as informações que são escutadas, tocadas, vistas, degustadas, e cheiradas. Sejam estas sensações de origem externa ou interna, na memória sutil da experiência, presente na tela mental, através dos sentidos sutis. Gradualmente, veja como o Mantra Om é tido como a origem ou o mapa da manifestação de você mesmo. Muitos sentidos, imagens, ou impressões, vêm e vão, mas repousam, na medida em que a atenção descansa no conhecimento no contemplar todos os sentidos no Ajña Chakra, e nas vibrações do Om.

7. Sahasrára: deixe agora a atenção mover-se para o Chakra coronário, no alto da cabeça, o qual não tem nenhum elemento ou Bhuta, nem sentido cognoscível ou Jñanendriyas; tampouco possuem meios ou expressões Karmendriyas. Sahasrára é a porta de entrada da consciência pura em si mesma ou Cheitanya. Experiencie agora a origem externa da qual a mente emerge, depois do que surgem os cinco elementos, os cinco órgãos cognitivos, e os seus cinco meios de expressão. O Mantra deste Chakra é silêncio, no sutil; depois do Om se experimenta o silêncio, mergulhando no vazio, na ausência de sentidos. Deixe a sua atenção repousas no puro silêncio, no vazio que não há vazio, o qual contém o puro potencial para a manifestação mas o qual não é manifestado.

Retornando da Mentalização

8. Ájña: novamente, e brevemente, traga a sua atenção de volta para o sexto Chakra, fazendo com que a vibração do OM retorne ao corpo e ao mundo. Após cerca de 30 segundos, ou 1 minuto, mantenha-se concentrado no Ajña.

9. Vishudha: agora leve a sua concentração na região da garganta, lembrando-se do Bija Ham. Perceba a influência no espaço real, no escutar e no falar. Faça isso 30 segundos ou 1 minuto.

10. Anáhata: diriga a concentração para a região do peito, no coração, e deixe o Mantra Yam surgir. Lembre- se do elemento ar, despertando o tato, percebendo nos seus dedos.

11. Manipura: atente para o Chakra do umbigo, e a vibração Ram, junto com o  elemento fogo, o qual é responsável pelos movimentos e pela visão, do que é visto ou não.

12. Svadhisthána: traga a sua concentração para o segundo Chakra, e deixe a vibração do Mantra Vam surgir, e repetir-se por si mesma. Lembre-se do elemento água, o qual desperta a procriação, o gosto, que é sentido ou não.

13. Múládhára: por fim, leve a concentração para a região do Múládhára Chakra, que fica entre os genitais e o ânus. Deixe o Mantra Lam vir. Fique 30 seguntos ou 1 minuto.

Recomenda-se, após a prática de Butha Suddhi, alguma prática de meditação, já que a mente está preparada para tal, muito embora o Bhúta Suddhi possa ser utilizado como uma prática meditiva.

PW_CH_CHAKRAS01_cr