O Hatha Yoga surgiu de uma grande novidade advinda de uma corrente filosófica que influenciou e continua influenciando até os dias atuais, toda cultura indiana: o Tantra. O que caracterizou o estilo de Hatha Yoga é a nova concepção de corpo que o Tantra traz, de que o corpo é considerado basicamente como um objeto impuro que precisa passar por um processo alquímico para se transformar num templo divino e refletir a morada de Deus. O Hatha Yoga é, portanto, esse processo alquímico. Explica Feuerstein (2006), que o auge deste movimento ocorreu entre os séculos VIII e XII, e ficou conhecido como “o Movimento dos Siddhas“. Explica o autor:

O nome siddha significa ‘realizado’ ou ‘perfeito’ e refere-se ao adepto do Tantra que alcançou a iluminação, ou seja, a perfeição (siddhi) suprema, e possui também poderes paranormais (siddhi) de todo tipo. (…) O siddha é um alquimista espiritual que opera sobre a matéria impura, o corpo-mente do ser humano, e a transmuta em ouro puro, na essência espiritual imortal. Entretanto, diz-se que ele é capaz também de transmutar literalmente a matéria (…) (FEUERSTEIN, 2006, p. 463)

Do movimento Siddha, as escolas mais importantes foram a dos Náthas e dos Maheshvaras, que residiam ao norte e ao sul, respectivamente. De forma geral, a tradição hindu atribui a criação do Hatha Yoga à Goraksha-Nátha e seu mestre, Matsyendra-Nátha, ambos nascidos em Bengala. Feuerstein (2006), acredita que Matsyendra-Nátha tenha vivido antes da metade do século X d.C. Embora esses dois Náthas sejam considerados precursores do Hatha Yoga, o próprio Senhor Shiva é tido como criador da linhagem Nátha.

O Hatha Yoga Pradipiká (I:5-9) descreve a tradição discipular do Hatha Vidya com os seguintes mestres: Shiva, Matsyendra, Shábara, Anandabhairava, Chaurangi, Mina, Goraksha, Virupaksa, Bileshaya, Manthána, Bhairava, Siddhi, Buddha, Kanthadi, Korantaka, Suránanda, Siddhipáda, Charpati, Káneri, Pújyapáda, Nityanatha, Nirañjana, Kapáli, Vindunatha, Kakachandísvara, Alláma, Prabhudeva, Ghodácholi, Tintini, Bhánukin, Náradeva, Khanda, Kápálika e ainda afirma que há muitos outros mahasiddhas[1].

No ocidente, o Hatha Yoga surgiu na década de 1920 e é hoje o mais praticado de todos os ramos do Yoga, com dezenas de milhares de adeptos. Na viagem que o trouxe da Índia Medieval, o Hatha Yoga sofreu inúmeras transmutações. As adaptações mais significativas foram feitas na ultima década a fim de atender às necessidades dos praticantes ocidentais. A prática, tal como chegou até nós em seus primórdios, tiveram os seguintes mestres: Swami Kuvalayananda (1883-1966), Swami Sivananda (1887 – 1963), T.S. Krishnamacharya (1887-1998), Swami Shyam Sundar Goswami (1891-1978), Shri Yogendra (1897-1989), Selvajaran Yesudian (1916-1998), Swami Gitananda Giri (1907-1993), entre outros (FEUERSTEIN, 2005).

O mais influente deles foi Krishnamacharya, que ensinou seu filho T.K.V. Desikachar (Vinyoga), seus cunhados B.K.S. Iyengar (Iyengar Yoga) e Pattabhi Jois (Ashtanga Vinyasa Yoga), e Indra Devi. Todos eles vieram a apresentar diferentes estilos de Hatha Yoga e, por isso, Krishnamacharya é considerado o autor do renascimento do Hatha Yoga nos tempos modernos.

O segundo de maior influência foi Swami Sivananda, médico que renunciou ao mundo e formou numerosos discípulos, entre eles Swami Satyananda (Yoga Bihar), Swami Sivananda Radha (Hatha Yoga da linguagem Oculta), Swami Vishnudevananda (Sivananda Yoga) e Swami Satchidananda.

Enfim o Hatha Yoga se desenvolveu de determinada maneira que hoje podemos encontrar um número cada vez mais crescente de estilos de prática. As mais importantes delas foram citadas por Feuerstein (2005), que tabelamos a seguir, com a visualização de suas principais características.

QUADRO 9 – Estilos de Hatha Yoga

ESTILO DE HATHA YOGA CARACTERISTICAS PRINCIPAIS
Iyengar Yoga

(B.K.S. Iyengar)

É caracterizado pela precisão na execução de posturas psico-físicas e pelo uso de vários instrumentos auxiliadores, como faixas, blocos, etc.
Ashtanga Vinyasa Yoga

(Pattabhi Jois)

A principal característica é o vinyasa, uma série de movimentos que funciona como um pente energético que limpa o corpo entre uma postura e outra.
Bikram Yoga

(Bikram Choudhury)

Sistema composto por 26 posturas que são executadas numa seqüência padronizada numa sala aquecida a 38 a 43° centígrados.
Yoga Integral

(Swami Satchidananda)

Integra diversos aspectos do corpo-mente por meio de uma combinação de posturas, técnicas de respiração, relaxamento profundo e meditação.
Kripalu Yoga

(Swami Kripalvananda)

É um Yoga de três estágios especialmente adaptado às necessidades dos praticantes ocidentais.
Vinyoga

(T. K. V. Desikachar)

Trabalha com um “processo seqüencial”, em que a respiração é deliberadamente coordenada com as posturas.
Sivananda Yoga

(Swami Vishnudevananda)

Sua prática inclui a seqüência de Saudação ao Sol e mais uma série de 12 posturas; contém exercícios respiratórios, relaxamento e recitação de mantras.
Ananda Yoga

(Swami Kriyananda)

Sua principal característica são as afirmações ligadas às posturas e também os singulares exercícios de energização.
Kundalini Yoga

(Yogi Bhajan)

O objetivo desse estilo é o despertar da força kundalini através de posturas, controle da respiração, recitação de cânticos e meditação.
Yoga da Linguagem Oculta

(Swami Sivananda Radha)

Busca o autoconhecimento através da exploração do simbolismo intrínseco das posturas.
Yoga Somático

(Eleanor Criswell-Hanna)

Busca o desenvolvimento corpo-mente através de uma abordagem que integra os princípios yogues tradicionais e as modernas pesquisas psicofisiológicas.
Anusara Yoga

(John Friend)

É descrita como o Yoga orientado pelo coração, inspiração espiritual, fundamentada num profundo conhecimento externo e interno do alinhamento do corpo.
Tri Yoga

(Kali Ray)

Combinam o ato de fluir e sustentar posturas enfatizando movimentos de ondulação da coluna, economia de movimento e sincronização de respiração e mudrá.
Jivamukti Yoga (Power Yoga)

(Sharon Gannon e David Life)

Utiliza uma prática física vigorosa combinada com os fundamentos filosóficos igualmente fortes das tradições antigas do Yoga, Vedanta e metafísica.
Ishta Yoga

(Mani Finger)

Mescla a filosofia de outras vertentes, como o hatha, o tantra e a ayurveda.

Fonte: FEUERSTEIN, G. 2005, p. 53-55


[1] KUPFER, P., obra disponível na internet em: http://www.yoga.pro.br/artigos.php?cod=76&secao=3035, 25 de agosto de 2007, 16:20.